loft-maiores-empresas-brasil

Diversos são os fatores que fazem uma empresa se destacar e crescer rapidamente no mercado, seja inovação em produtos e serviços, atendimento e experiências ao cliente, rh 4.0, tecnologia, entre outros.

E, mesmo em meio à crise no país e no mundo, algumas empresas estão se destacando no mercado e se sobressaindo em meio aos grandes negócios do Brasil. Uma dessas é a Loft, plataforma digital que une tecnologia a venda e compra de imóveis.

Você já conhece essa empresa? Saiba mais sobre ela e como ela vem se destacando e crescendo cada vez mais no cenário brasileiro!

Loft, facilitando a compra e venda de imóveis

Por seus números e crescimento imenso não parece, mas a Loft é uma empresa jovem. Fundada em 2018, em São Paulo, a negócio é uma plataforma digital que simplifica a venda e compra imóveis.

A Loft começou seus negócios comprando, reformando e revendendo apartamentos em bairros nobres em São Paulo, modelo conhecido como iBuyer. Seus negócios foram se aprimorando e, atualmente, seu principal produto é uma plataforma digital onde proprietários e corretores de imóvel podem oferecer e adquirir imóveis.

A Loft utiliza algoritmos de inteligência artificial para analisar grandes bases de dados de transações imobiliárias e precificar imóveis de forma rápida e escalável.

Entre seus investidores iniciais estão fundos de capital de risco internacionais como Andreessen Horowitz, Fifth Wall, Thrive Capital e QED Investors, e a gestora de capital de risco brasileira Monashees. Muitos são os nomes de peso que já investiram na startup, como Mike Krieger, cofundador do Instagram e David Vélez, CEO e cofundador do Nubank.

Se a empresa já era uma solução importante e inovadora quando nasceu, com a pandemia seus negócios foram ainda mais acelerados pela facilidade, agilidade e digitalização de processos imobiliários, desburocratizando etapas em um setor que cresceu durante a crise sanitária.

O negócio foi criado pelo alemão Florian Hagenbuch e pelo húngaro Mate Pencz, que anteriormente co-fundaram a startup brasileira de serviços de impressão Printi. A dupla, em 2015, foi listada pela revista Forbes entre as 30 pessoas com menos de 30 anos mais influentes do mundo.

Operações, unicórnio e crescimento

Em 2019, a Loft adquiriu a Decorati, empresa especializada em reformas de apartamentos, aumentando sua capacidade de reforma de 100 para 500 imóveis ao mesmo tempo.

Mesmo nova no mercado, em 2019 a Loft já foi apontada pelo Linkedin na “LinkedIn Top Startups 2019”, sendo a terceira empresa jovem mais desejada pelos brasileiros.

Em janeiro de 2020, a empresa recebeu um aporte de US$ 175 milhões em uma rodada liderada pelos fundos de venture capital estadunidenses Andreessen Horowitz, Fifth Wall Ventures e Vulcan Capital. O investimento fez com que o negócio, no primeiro mês de 2020, ainda antes da pandemia, a Loft se tornasse um unicórnio, ou seja, uma startup avaliada em mais de US$ 1 bilhão. Essa conquista fez com que a Loft fosse a empresa que mais rapidamente se tornou unicórnio no país.

O primeiro aporte serviu de combustível para os planos de expansão dentro de diversas regiões de São Paulo e para início de operações em outras capitais, como o Rio de Janeiro.

Se em 2020 o cenário já foi bom para a Loft, mesmo no início de 2021 e com seguimento da pandemia, a empresa não para de crescer. Em março deste ano, a empresa recebeu mais um aporte, dessa vez de 425 milhões de dólares, passando a ter valor de mercado estimado em 2,2 bilhões de dólares.

Essa é a maior injeção de capital recebida por uma startup brasileira, superando os 400 milhões de dólares já recebidos pelo Nubank. Com o investimento, a Loft se tornou a décima startup mais valiosa do setor imobiliário residencial no mundo e a primeira fora dos EUA e da China.

A rodada deste ano é liderada pelo fundo D1 Capital Partners, do bilionário Dan Sundheim, que conta ainda com investidores estrangeiros de peso, como os fundos de private equity Tiger Global, Advent, DST Global, Altimeter e Silver Lake e que já investiram em negócios que vão desde as operações brasileiras de Nubank, Locaweb e a Stone até gigantes globais como Facebook e Alibaba.

O dinheiro recebido pela Loft será utilizado para fortalecer a infraestrutura da plataforma, análise de dados e experiência do consumidor. E claro, os planos de crescimento seguem em alta e a expectativa é expandir para outras grandes cidades, dentro e fora do Brasil.

A tendência é que a empresa cresça a cada ano – e até mesmo mês – que passa, conquistando ainda mais espaço no mercado brasileiro e mundial.

Você já conhecia a Loft e o modelo de negócio que levou a empresa ao topo em tão pouco tempo? Agora que você já sabe mais sobre ela, se precisar buscar imóveis, não deixe de conferir o empreendimento!