Kim Jong Un, da Coreia do Norte, promete velocidade máxima para o programa nuclear

Kim Jong Un, da Coreia do Norte, promete velocidade máxima para o programa nuclear, enquanto exibe mísseis ICBM

O país “fortaleceria e desenvolveria” suas forças nucleares na velocidade “mais alta possível”, disse Kim, quando um ICBM Hwasong-17, vários lançadores de foguetes gigantes e um míssil balístico lançado por submarino foram todos exibidos pelas ruas do Norte. capital coreana.

Especialistas disseram que o desfile – realizado para marcar o 90º aniversário da fundação do exército norte-coreano – ofereceu um vislumbre das ambições de Kim para seu programa de armas, particularmente seus esforços para desenvolver mísseis de combustível sólido que seriam mais fáceis de esconder de estrangeiros. agências de espionagem. Também ofereceu uma visão sobre sua mentalidade, disseram eles.

Qualquer país ou força que tentasse confrontar militarmente a Coreia do Norte “deixaria de existir”, disse Kim ao descrever suas forças nucleares como um “símbolo do poder nacional e a base de nosso poder militar”.

“A verdadeira paz pode ser confiável e a dignidade nacional e a soberania nacional podem ser garantidas pela poderosa força de autodefesa que pode derrotar o inimigo”, disse Kim em um comunicado divulgado pela estatal Agência Central de Notícias da Coreia (KCNA).

Ele disse que a primeira missão de sua força nuclear foi “deter a guerra”, mas se alguém tentar “tirar os interesses fundamentais de nosso país, nossa força nuclear não terá escolha a não ser realizar sua segunda missão”. Ele não detalhou qual seria essa segunda missão.

Atraente

Entre as peças de armamento mais atraentes em exibição estava o Hwasong-17, apontado por Pyongyang como uma de suas maiores conquistas militares até agora.

A Coreia do Norte afirma ter testado com sucesso o míssil em março, com uma reportagem em sua mídia estatal na época descrevendo o lançamento como um “poderoso dissuasor de guerra nuclear” e citando Kim dizendo que o país estava “totalmente pronto” para qualquer confronto militar em potencial. com os Estados Unidos.

O ICBM poderia, pelo menos teoricamente, colocar todo o território continental dos EUA ao alcance de uma ogiva nuclear norte-coreana, mas analistas dizem que há dúvidas sobre se o míssil pode lançar uma carga nuclear no alvo.

De fato, os EUA e a Coreia do Sul até contestaram as alegações da Coreia do Norte de ter testado o Hwasong-17, sugerindo que o lançamento de 24 de março foi de fato um teste do Hwasong-15 mais antigo e um pouco menor, um míssil testado pela primeira vez em 2017.

Um vislumbre das ambições de Kim

Especialistas disseram que o desfile e o discurso de Kim dizem muito sobre as ambições do país, tanto em termos de desenvolvimento de armas quanto de prioridades diplomáticas.

Ankit Panda, especialista em armas nucleares do Carnegie Endowment for International Peace, disse que fotos do desfile sugerem a presença de três mísseis de combustível sólido ainda não testados.

“Kim colocou ICBMs de combustível sólido em sua lista de desejos do 8º Congresso do Partido em janeiro de 2021. Então eu não ficaria chocado se um deles fosse testado em voo no devido tempo”, disse Panda em um tweet.

Os mísseis de combustível sólido são considerados mais avançados do que os de combustível líquido porque podem ser transportados com mais facilidade – o que significa que são mais fáceis de esconder de um inimigo – e podem ser preparados para lançamento mais rapidamente.

Jeffrey Lewis, especialista em armas e professor do Instituto Middlebury de Estudos Internacionais, disse em março, após o teste Hwasong-17, que o líder norte-coreano estava “marchando” uma longa lista de modernizações de armas estabelecidas há mais de um ano.

“(Kim) disse que essas são todas as coisas que a Coreia do Norte vai fazer e que inclui um ICBM de ogiva múltipla, um ICBM de propelente sólido, o lançamento de um satélite militar e até mesmo colocar um submarino nuclear no mar”, Lewis disse.

“Eu não acho que ele vai parar até que essa lista seja concluída”, disse Lewis.

Anteriormente, a Coreia do Norte anunciou planos para aumentar a precisão de seus mísseis e aumentar o alcance em até 15.000 quilômetros (9.320 milhas).

“Acho que estamos firmemente em um período de testes de mísseis, testes nucleares e tensão que provavelmente durará um ano ou mais”, disse Lewis.

O significado de um homem de uniforme

Além das armas em exibição, analistas disseram que o desfile ofereceu outros insights sobre o estado de espírito de Kim.

Cheong Seong-chang, diretor do Centro de Estudos Norte-coreanos do Instituto Sejong, um think tank privado sul-coreano, disse que foi significativo que Kim tenha usado um uniforme militar em seu discurso.

“Isso pode simbolizar que Kim responderá com uma ‘força forte’ no futuro à política linha-dura do governo Yoon Suk Yeol em relação à Coreia do Norte, que considera a Coreia do Norte como seu ‘principal inimigo’ e promete ser preparados com uma capacidade de ‘ataque preventivo'”, disse Cheong.

Alguns, incluindo Panda, sugeriram que as declarações de Kim não mostravam uma mudança fundamental de postura.

“A Coreia do Norte sempre disse que espera impedir uma guerra (ou) invasão de seu território, mas usaria armas para neutralizar uma força invasora se fosse necessário”, tuitou Panda.

Enquanto isso, Yang Moo-jin, professor da Universidade de Estudos Norte-coreanos, disse que a retórica de Kim na segunda-feira foi relativamente branda – no que diz respeito a Pyongyang.

“Não houve referência direta à Coreia do Sul ou aos Estados Unidos e, embora haja uma menção à força nuclear, não há expressão extrema, então parece que a Coreia do Norte tentou controlar o nível de intensidade desta vez”, disse Yang.

Gostou? Compartilhe!

Você vai gostar também

Copyright © 2022 Viaje no Detalhe. Todos os direitos reservados.