Por que a Ucrânia precisa de aviões de guerra estrangeiros?

Russia-Ukraine war: Ukraine


O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, diz que Washington deu “luz verde” à ideia e atualmente está “muito, muito ativamente” analisando uma proposta sob a qual a vizinha Polônia da Ucrânia forneceria a Kiev caças da era soviética e, por sua vez, receberia o americano F. -16s para compensar sua perda.

No entanto, a proposta está repleta de incertezas e a Polônia tem se mostrado pouco entusiasmada com isso em público, em grande parte porque a Rússia alertou que apoiar a força aérea da Ucrânia seria visto em Moscou como participação no conflito e abriria fornecedores para possíveis retaliações. O comentário oficial da OTAN e da Polônia, membro da União Européia, foi apenas para confirmar as negociações contínuas sobre o assunto.

POR QUE A UCRÂNIA PRECISA DE AVIÕES DE GUERRA?

A Força Aérea da Ucrânia usa caças a jato MiG-29 e Su de fabricação soviética para defender seus céus e território da invasão militar russa que começou em 24 de fevereiro e pediu mais aviões de guerra para continuar a missão a longo prazo.

A força aérea tem sido superada em número pela muito mais poderosa força aérea russa, mas os pilotos ucranianos continuaram a realizar missões de combate e reivindicar mortes em combate, apesar das repetidas afirmações dos militares russos de que suprimiram o poder aéreo e os ativos de defesa aérea da Ucrânia.

POR QUE NÃO NOS AVIÕES DE GUERRA?

Os pilotos militares da Ucrânia não são treinados para pilotar caças a jato dos EUA e estariam muito mais equipados para lidar com aviões MiG-29 ou Su que atualmente são usados ​​pelos ex-membros da OTAN do bloco soviético Polônia, Bulgária e Eslováquia.

Pilotos ucranianos seriam capazes de pilotar MiGs imediatamente, mas a Polônia não está ansiosa para perder quantidades significativas de sua força aérea sem substituições. Os F-16 fabricados nos EUA estão se tornando o esteio da força aérea da Polônia à medida que moderniza suas forças armadas.

QUAL A RESPOSTA DA POLÔNIA?

Blinken disse que há uma “luz verde” para a Polônia enviar aviões para a Ucrânia.

“Estamos analisando ativamente agora a questão dos aviões que a Polônia pode fornecer à Ucrânia e analisando como podemos ser capazes de aterrissar caso a Polônia decida fornecer esses aviões. Não posso falar com um cronograma, mas posso apenas dizer estamos olhando para isso muito, muito ativamente”, disse Blinken no domingo na Moldávia.

A resposta da Polônia foi contida, no entanto.

“Quanto ao envio de aviões, só posso repetir que nenhuma decisão foi tomada sobre o assunto”, disse o porta-voz do governo Piotr Mueller.

Mueller negou as alegações de que a Polônia poderia estar disponibilizando seus aeródromos para aviões de guerra ucranianos. A Rússia alega que a Romênia e alguns outros países que não nomeou estão hospedando aviões de guerra da Ucrânia.

Enquanto isso, a Polônia tem apoiado a Ucrânia tanto politicamente, apoiando sua integridade territorial e soberania, quanto em nível humanitário, abrindo sua fronteira para refugiados do país não pertencente à UE.

POR QUE A POLÔNIA NÃO SE COMPROMETE?

Apesar de sua postura de apoio à Ucrânia em sua luta, Varsóvia está enfrentando uma decisão crucial e desafiadora em relação à disponibilização de seus aviões para a Ucrânia.

A Rússia alertou os vizinhos da Ucrânia contra a hospedagem de seus aviões de guerra em seu território, dizendo que Moscou poderia considerar isso como seu “engajamento no conflito militar”.

As palavras da Rússia podem ser tomadas como uma advertência mais ampla contra a ajuda às forças aéreas da Ucrânia.

A Polônia também faz fronteira com a Rússia, através do enclave de Kaliningrado, e tem uma longa fronteira com a Bielorrússia, aliada próxima da Rússia. As relações entre Varsóvia e Moscou estão em baixa desde que um governo de direita assumiu o cargo na Polônia em 2015.

OUTRAS CONSIDERAÇÕES

Uma das principais questões é onde esses MiGs, se disponibilizados, seriam baseados, pois não poderiam estar em solo da OTAN. Não está claro se a Ucrânia seria capaz de abrigá-los e servi-los com segurança a longo prazo, dada a guerra em seu território.

Outra questão a resolver seria como entregar os aviões para a Ucrânia. Pilotos poloneses, que também são pilotos da OTAN, não poderiam levá-los à Ucrânia sem arriscar o envolvimento da OTAN no conflito, e enviar pilotos ucranianos à Polônia para levá-los de volta pode apresentar problemas semelhantes.

Há também um backlog de produção do F-16, o que significa que os países que potencialmente doam seus caças MiGs e Su para a Ucrânia precisariam aguardar o preenchimento por algum tempo.

O senador dos EUA Marco Rubio resumiu dizendo: “Há complicações que vêm com. Não é tão fácil quanto entregá-lo. Você tem que voar com eles. Você tem que colocá-los em algum lugar no solo.

“E… os russos lançaram um belo – algo entre oito a 12 foguetes em um aeroporto no oeste da Ucrânia. E é apenas parte de uma estratégia para negar a eles lugares para mover essa estrutura”, disse Rubio, um republicano da Flórida.

Esta história foi publicada a partir de um feed de agência de notícias sem modificações no texto. Apenas o título foi alterado.

Inscrever-se para Boletim Informativo

* Entre com um email válido

* Obrigado por subscrever a nossa newsletter.

Nunca perca uma história! Fique conectado e informado com Mint. Baixe nosso App agora!!

Gostou? Compartilhe!

Você vai gostar também

Copyright © 2022 Viaje no Detalhe. Todos os direitos reservados.