Ucrânia: Chefe da ONU pede passagem segura de zonas de conflito, órgão de direitos humanos registra 1.123 vítimas civis, OMS destaca preocupações com a saúde |

Ucrânia: Chefe da ONU pede passagem segura de zonas de conflito, órgão de direitos humanos registra 1.123 vítimas civis, OMS destaca preocupações com a saúde |


Em um Tweeto Secretário-Geral da ONU declarou que é absolutamente essencial estabelecer uma pausa nos combates que continuam inabaláveis ​​na Ucrânia, para permitir a passagem segura de civis de todas as zonas de conflito e também para garantir que a ajuda humanitária que salva vidas, como como os suprimentos da ONU que começaram a chegar no sábado, podem se mudar para ajudar os que ficam.

Guterres destacou as cidades de Mariupol, Kharkiv e Sumy como exemplos de pontos críticos onde os civis estão em risco particular. As tentativas de permitir que cerca de 200.000 civis deixem Mariupol com segurança continuam sendo frustradas, com o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) relatando “cenas devastadoras de sofrimento humano” na cidade.

O CICV informou no domingo que, embora suas equipes permaneçam de prontidão para ajudar na evacuação, elas precisam de garantias de segurança para operar. Essas garantias até agora não foram fornecidas, e a organização humanitária pediu às partes em conflito que concordassem com termos específicos que permitiriam uma passagem segura para fora da cidade.


A destruição causada por um foguete no oeste da Ucrânia é capturada em uma imagem de telefone celular.

© UNICEF/Viktor Moskaliuk

A destruição causada por um foguete no oeste da Ucrânia é capturada em uma imagem de telefone celular.

Números reais de fatalidades ‘consideravelmente maiores’ do que o registrado

O Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) alertou no domingo que os números de vítimas relatados – para o período entre 04:00, hora local em 24 de fevereiro de 2022, quando o ataque armado da Federação Russa contra a Ucrânia começou, até meia-noite em 5 de março de 2022 – provavelmente serão uma subestimação considerável dos números verdadeiros.

O ACNUDH disse que 1.123 vítimas civis na Ucrânia foram verificadas: 364 mortos, incluindo 25 crianças, e 759 feridos. A maioria das vítimas foi causada pelo uso de armas explosivas com uma ampla área de impacto, incluindo bombardeios de artilharia pesada e sistemas de foguetes de lançamento múltiplo, mísseis e ataques aéreos.

No entanto, o ACNUDH acredita que os números reais são consideravelmente maiores, especialmente em território controlado pelo governo, e especialmente nos últimos dias, pois as informações de alguns locais onde ocorreram intensas hostilidades foram atrasadas e muitos relatórios ainda aguardam confirmação. Na cidade de Volnovakha, por exemplo, o ACNUDH está ciente das alegações de centenas de vítimas civis.


Em 5 de março de 2022, no oeste da Ucrânia, crianças e famílias chegam à fronteira para atravessar para a Polônia.

© UNICEF/Viktor Moskaliuk

Em 5 de março de 2022, no oeste da Ucrânia, crianças e famílias chegam à fronteira para atravessar para a Polônia.

‘Crise de refugiados que mais cresce na Europa desde a Segunda Guerra Mundial’

O conflito na Ucrânia criou a crise de refugiados que mais cresce desde a Segunda Guerra Mundial, declarou o chefe da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), em um comunicado Tweet no domingo.

Filippo Grandi, Alto Comissário da ONU para Refugiados, observou que mais de 1,5 milhão de pessoas cruzaram a fronteira para países vizinhos em apenas 10 dias.

Os comentários de Grandi seguem as advertências da agência das Nações Unidas para a infância (UNICEF) na sexta-feira sobre um número “sem precedentes” de crianças e famílias que fogem de suas casas, e as necessidades humanitárias “crescem a cada hora”.


Uma mãe segura seu bebê recém-nascido em um hospital em Kiev, na Ucrânia.

© UNICEF/Andriy Boiko

Uma mãe segura seu bebê recém-nascido em um hospital em Kiev, na Ucrânia.

OMS divulga preocupações prioritárias de saúde para a Ucrânia

A agência de saúde da ONU (OMS) divulgou seu primeiro relatório sobre a situação da Ucrânia no sábado, descrevendo suas prioridades de saúde para o país.
Estes incluem cuidados de saúde mental, devido ao que a agência chama de “estresse significativo devido a conflitos agudos”, e traumas e lesões relacionados a conflitos, exacerbados pela falta de acesso a unidades de saúde devido à insegurança.

A OMS também está preocupada com o excesso de mortes por doenças comuns, devido à interrupção dos serviços e doenças maternas, neonatais e infantis agudas, bem como a disseminação de doenças infecciosas como COVID-19, sarampo, poliomielite, tuberculose e HIV .

As doenças diarreicas também estão na lista de prioridades, devido à destruição generalizada da infraestrutura de água e saneamento, cobertura vacinal inadequada, movimentos populacionais e superlotação.



Gostou? Compartilhe!

Você vai gostar também

Copyright © 2022 Viaje no Detalhe. Todos os direitos reservados.